Usuários reclamam de atendimento e de destrato com funcionários no Centro de Especialidades Frei Damião, em Patos

O Centro de Especialidades Frei Damião atende 48 cidades que tem como referência o Município de Patos e recebe diariamente centenas de pessoas que buscam atendimento médico. O órgão está localizado na Avenida Rio Branco e nesta sexta-feira, dia 07, foi alvo de críticas no atendimento prestado aos seus usuários.
O órgão pertence a Prefeitura Municipal de Patos e é administrado pela Secretaria de Saúde do Município. A jovem Aldeny Medeiros procurou a reportagem do Patosonline.com para denunciar a falta de critérios no atendimento das pessoas que chegam muito cedo em busca de fichas para garantir a consulta médica.
De acordo com Aldeny, a direção do Frei Damião não alterna o atendimento de pessoas que já estão na fila de espera com os idosos que tem prioridade no atendimento. Em razão disto, os pacientes esperando várias horas enquanto os idosos chegam frequentemente. “Nós não somos contra o atendimento prioritário, o problema é que ficamos sem saber quando seremos atendidos também, pois esperamos horas e horas, mas enquanto tem idosos nós ficamos sem perspectiva. A minha sugestão é que seja intercalado, ou seja, atende um prioritário e intercala com um outro usuário que já está na fila há tempos”, relata Aldeny.
A senhora Rosineide também buscou a reportagem para denunciar destrato com os usuários e também com os funcionários por parte da diretora do Centro de Especialidades Frei Damião. Relatos de Rosineide são de que a diretora Zedilma Pereira havia destratado três funcionárias em público, bem como tem desrespeitado cidadãos que buscam atendimento. “Eu presenciei abuso contra funcionários...a coordenadora trata as pessoas lá como lixo”, relatou Rosineide.
Em contato com a diretora do Frei Damião sobre os fatos trazidos pelas usuárias, a reportagem recebeu as seguintes declarações: “A intercalação para idosos não acontece porque nós temos que se colocar no lugar do outro. O serviço de especialidades não é urgência e nem emergência. Prioridade é acima de 60 anos, mulheres lactantes, portadores de câncer ou outras deficiências, realmente elas são atendidas e depois ficam atendidas as pessoas abaixo de 60 anos e que não estão com algumas especificações de doenças maiores”, disse Zedilma.
Em relação ao destrato aos funcionários, Zedilma comentou: “Eu não tenho esse conhecimento. Assim, a gente não pode dizer que sim ou que não, mas eu digo que não, pois sou eu que estou na direção e procuro ver o olhar do outro. Taí as minhas funcionárias e pode ficar à vontade para perguntar. A própria população está dentro do Frei Damião hoje e você está vendo a situação. O fluxo aqui é muito grande”.


Jozivan Antero
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário