Ivanes terá que remanejar recursos que permitam pagamento da folha de agosto e dos fornecedores

O problema de remanejamento de verbas vem atormentando os prefeitos interinos desde a administração de Bonifácio Rocha. A Prefeitura já teria gasto as verbas orçamentárias destinadas a determinadas despesas, entre as quais a folha de pagamento e fornecedores, e mesmo tendo dinheiro, não estaria recebendo autorização para remanejar recursos das rubricas em que existem recursos, para as rubricas cujo dinheiro é autorizado para pagar folha de pagamento e outras despesas.  Bonifácio e Sales estariam alegando que remanejaram os recursos por que tinham urgência em fazer os pagamentos e a Câmara não estava autorizando o remanejamento. Os vereadores alegam que os pedidos foram feitos retroativamente e por isso eles não teriam autorizado. Há quem diga, entretanto, que os vereadores usavam os pedidos de remanejamento para extorquir benefícios de parte dos prefeitos interinos, inclusive nomeação de apaniguados seus como comissionados ou a sua contratação. Uma saída para Ivanes é pedir autorização para remanejar os recursos destinados a pagar as despesas referentes ao seu período de governo, deixando para seus antecessores a obrigação de justificar aquilo que alguns vereadores estão chamando de “pedaladas” e que teriam sido feitas durante as administrações anteriores.
Houve realmente nos últimos meses um aumento no número de contratados pela Prefeitura de Patos. Mas há uma justificativa para uma parte deste aumento de contratações. Eles eram contratados anteriormente por intermédio de empresas terceirizadas a um custo muito maior. Com o distrato com estas empresas, a prefeitura teve que contratá-los diretamente, pois eram imprescindíveis em alguns casos, como vigias de escolas e de postos médicos. Alguns destes contratados foram substituídos pelos aprovados em concurso público, mas havia alguns que, por apadrinhamento, ainda permaneciam. Estes deverão ser dispensados por conta do decreto baixado nesta quarta-feira, pelo prefeito Ivanes Lacerda, que só preservou os contratados por excepcional interesse público, através do Processo Seletivo 01/2019, já que têm amparo em lei. Ivanes declarou que respeitará apadrinhamentos.
O nome de Sales Júnior tem sido ventilado, nas últimas horas, como um dos futuros secretários da gestão Ivanes Lacerda. Circula nas redes a informação de que o próprio Ivanes teria feito o convite. Não há dúvida da capacidade de Sales Júnior para assumir qualquer secretaria. Quem conseguiu segurar “a batata quente” da prefeitura, por quatro meses, conseguindo inclusive algum progresso, e barrado, segundo ele, apenas pela insensibilidade de seus colegas vereadores, (o que não é novidade para ninguém), tem condições de dirigir qualquer secretaria, com exceção daquelas que exigem formação profissional específica.
Raniere Ramalho e Paulinho Lacerda assumiram vagas na Câmara na última terça-feira, 27/08. Raniere, na condição de primeiro suplente eleito pelo MDB, assume a vaga deixada por Ivanes Lacerda, eleito pelo mesmo partido. Para isso, Raniere entregou a Secretaria de Serviços Públicos onde vinha desempenhando um excelente serviço. Paulinho Lacerda é suplente da coligação que elegeu Edjane Araújo e com a volta de Edjane ao comando da Secretaria de Desenvolvimento Social, que deixara para participar da eleição do presidente da Câmara, Paulinho reassumiu a vaga. O próximo suplente a voltar à Câmara deve ser Edvar Cambirota, suplente de Jefferson Melquíades que também deixara a STTRANS para participar da eleição da Câmara. Renomeado para a STTRANS, Jefferson deve abrir vagas para Cambirota.
Por fim, uma série de especulações estão se formando em torno das Secretarias que vão ficar sem titular a partir do próximo domingo, 01/09. O decreto baixado por Ivanes Lacerda, visando fazer a economia necessária para atender a Lei de Responsabilidade Fiscal e diminuir as despesas da prefeitura, só preservou os titulares de uma parte das secretarias. Pelo decreto só continuarão a manter os atuais titulares, a partir do domingo, as secretarias de Saúde, Educação, Infraestrutura, Planejamento, Procuradoria Geral, Finanças, Controle Interno, PatosPrev (superintendente). Coordenação de Comunicação e Secretaria Executiva do Prefeito. O decreto não diz como ficarão as secretarias de Desenvolvimento Social, de Desenvolvimento Econômico, STTRANS, Serviços Públicos, Agricultura, Meio Ambiente e Esportes, além das secretarias executivas. Durante o dia de hoje surgiram especulações de que algumas destas secretarias poderia ser fundidas entre si ou com outras que foram preservadas, dentro da reforma administrativa que Ivanes Lacerda pensa em encaminhar à Câmara de Vereadores, como forma de reduzir despesas.  Citavam como exemplo a possibilidade de fusão de Agricultura com Meio Ambiente, de Serviços Públicos com Infraestrutura, entre outros.
De modo geral a expectativa tem sido muito boa com relação à administração do prefeito interino Ivanes Lacerda. É voz geral que se ele conseguir amansar (no bom sentido) a Câmara de Vereadores, ele  poderá começar a colocar a administração municipal “nos trilhos”. E há quem diga que, se conseguir sucesso e for até o fim do mandato, será um concorrente altamente competitivo nas eleições do ano que vem, em caso de tentar a reeleição.
LGLM – Blog Revista da Semana

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário