Limpeza urbana: Garis irão parar atividades mais uma vez em Patos

Resultado de imagem para limpeza publica em patos

O presidente do Sindicatos dos Trabalhadores nas Empresas de Limpeza Urbana do Estado da Paraíba (SINDLIMP-PB) fez saber na tarde desta quinta-feira, dia 09, que haverá mais uma paralização dos serviços de varrição e coleta do lixo na cidade de Patos diante de atraso no salário dos garis.
Radamés Cândido, presidente do SINDLIMP-PB, disse que os trabalhadores estão indignados com os atrasos dos salários, das cestas básicas, das férias e também problemas no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A Empresa Conserv, contratada pela Prefeitura Municipal de Patos, alega que a gestão municipal não está honrando com os pagamentos e isso impôs sérias dificuldades para pagar compromissos.
A Prefeitura Municipal de Patos deve quase Dois Milhões de Reais à Empresa Conserv. A falta de execução do contrato mensal vem se arrastando desde a gestão do prefeito afastado Dinaldinho Wanderley. Na gestão do vice-prefeito Bonifácio Rocha (PSB) foi feito um acordo de parcelamento. Os demais gestores que sucederam a Bonifácio não deram seguimento e a situação, de acordo com informações, piorou ainda mais na gestão Ivanes Lacerda (MDB).
A Empresa Conserv já fez várias reduções nos valores firmados via contrato, demitiu trabalhadores, encerrou a pintura de meio fio e podas de árvores, porém, mesmo com redução drástica do valor cobrado da Prefeitura, a empresa alega não receber o mês em continuidade e nem os anteriores.
Ao que tudo indica, a partir da próxima segunda-feira, dia 13, ou mesmo antes, os serviços serão paralisados por completo. “Quem está perdendo com essa situação lamentável são os trabalhadores e toda a sociedade. O prefeito não vem escutando o sindicato e não chega a um entendimento com a empresa. Nós queremos o direito respeitado! Os garis trabalham muito e os demais trabalhadores também! Queremos um entendimento entre o prefeito Ivanes e a empresa, mas parece que esse gestor não é muito de diálogo”, disse Radamés.
Por meio de ofício destinado ao prefeito interino Ivanes Lacerda, a Conserv fez detalhamento dos problemas, valores a receber da Prefeitura de Patos e da decisão do SINDLIMP-PB em convocar os trabalhadores para paralisar.
Arnon Medeiros, secretário de Finanças do Município de Patos, disse que desde Bonifácio Rocha que vem sendo honrado o compromisso e pagando mensalmente à Empresa Conserv. Ele reconhece débitos anteriores e a redução que ocorreu, mas afirma que o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE/PB) detectou que os valores pagos pela varrição estavam acima do pago em outros municípios.

Com informações de Jozivan Antero
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário