Aguinaldo Ribeiro minimiza greve geral e diz que reformas devem ser aprovadas no Congresso

Resultado de imagem para aguinaldo ribeiro rindoO deputado federal paraibano Aguinaldo Ribeiro (PP), líder do governo, se reuniu na noite desse domingo (1º)  o presidente Michel Temer e ministros para discutir o clima da base aliada com as reformas no Congresso. Voz do Governo na Câmara, o parlamentar afirmou, após o encontro, que a greve geral de sexta-feira (28) não deve atrapalhar as próximas votações.
Aguinaldo repetiu o discurso do governo e minimizou a adesão às mobilizações ocorridas há três dias contra as reforma. “O governo já havia feito uma avaliação. Acho que houve muito mais um piquete em relação à mobilidade urbana do que propriamente adesão à greve. Adesão de greve é quando as pessoas deixam de trabalhar de forma espontânea para fazer uma manifestação espontânea em defesa ou em protesto de alguma coisa”.
Para o líder, o que houve foram piquetes das vias estratégicas tentando impedir que as pessoas fossem ao trabalho. Ele declarou que os atos não devem ter grandes impactos nas votações.
Aguinaldo disse que a expectativa é que uma “ampla maioria” aprove a reforma da Previdência na comissão especial que debate o tema. Ele disse ainda que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, esclareceu aos líderes da base na Câmara e no Senado a importância da votação das reformas para a “consolidação do ajuste” que vem sendo promovido pelo governo, e para trazer mais “credibilidade” ao país.
Segundo ele, os participantes do encontro dessa segunda-feira, no Palácio da Alvorada, fizeram uma avaliação “positiva” da aprovação dos textos da reforma trabalhista, ocorrida na semana passada na Câmara, e traçaram a programação dos próximos passos.
Segundo Aguinaldo Ribeiro, o governo tem dialogado com partidos que manifestaram preocupações com alguns pontos das medidas. Ele exemplificou que “muito” do que o PSB criticava “foi atendido” com as alterações promovidas nas últimas semanas pelo Planalto. “Temos convicção de que temos maioria e teremos um placar majoritário [na votação da reforma da Previdência na comissão]. Estamos em um momento de consolidação da base”, acrescentou.
Sobre o convencimento da população dos pontos-chave da reforma da Previdência, Ribeiro concordou que trabalhar com a comunicação é um “desafio” para que se evitem a propagação de críticas com informações incorretas, como a de que o empregado precisaria trabalhar durante 49 anos para se aposentar.
Com informações da Agência Brasil
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário